Ao menos 200 pessoas tiveram que deixar suas casas para fugir das chamas. Chamas atingem floresta na Patagônia argentina
Matias Garay/AP Photo
Ao menos sete pessoas ficaram feridas e 15 estão desaparecidas depois dos incêndios florestais registrados esta semana na Patagônia argentina, informaram as autoridades regionais em um balanço provisório divulgado nesta quarta-feira (10).
Pelo menos 200 pessoas tiveram que deixar suas casas na cidade de Lago Puelo. A região – que engloba as localidades de El Bolsón, El Maitén, Epuyén, Futaleufú e El Hoyo – é um tradicional destino turístico por conta de suas florestas e lagos aos pés da cordilheira dos Andes.
Juan Cabandié, ministro do Meio Ambiente da Argentina, disse em entrevista coletiva que o incêndio foi provocado de forma intencional e que seu gabinete abrirá uma investigação para descobrir os responsáveis por sua autoria.
Em Lago Puelo, além dos desalojados, a prefeitura da cidade listou ao menos sete feridos – um deles em estado grave – e 15 pessoas desaparecidas. Cerca de 100 casas do município foram consumidas pelas chamas.
Casal se abraça diante da fumaça deixada pelos incêndios que atingem florestas da Patagônia argentina
Matias Garay/AP Photo
Alejandro Otero, porta-voz da comuna de El Hoyo, disse em entrevista à agência France Presse que o fogo nas proximidades da cidade foi controlado por conta das fortes chuvas que caem sobre a região. Ele disse, no entanto, que as autoridades seguem em alerta para novos focos de incêndio.
O governo do presidente Alberto Fernández autorizou o envio de um avião Hércules com 40 brigadistas que se juntarão a outros 60 que já estão em campo controlando o fogo com o auxílio de helicópteros e caminhões.
VÍDEOS mais vistos do G1