Mais da metade das queimadas foram registradas na Amazônia, e o Pantanal registrou a maior alta. Foto aérea mostra a fumaça das queimadas sobre a vegetação ao redor do rio Cuiabá, no Pantanal
Amanda Perobelli/Reuters
O número de focos de queimadas no Brasil em 2020 subiu 12,73% na comparação com 2019, segundo dados do Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). No total, o país registrou 222.798 focos em 2020, ante 197.632 no ano anterior. Isso representa o maior número em uma década.
O pior aumento foi visto no Pantanal, que registrou 22.116 queimadas em 2020 — mais do que o dobro dos 10.025 registros em 2019. Foi o maior número de focos no bioma desde 1998, ano do início da série histórica.
No ano passado, imagens devastadoras dos incêndios e de animais mortos ou feridos pelo fogo correram o Brasil e o mundo. Estima-se que ao menos 23% do Pantanal foi destruído.
Veja o comparativo das queimadas no Pantanal na década, ano a ano
Houve alta também na Amazônia: foram 103.161 focos de queimadas, contra 89.171 registradas em 2019. Isso representa um aumento de 15,68%, e é o maior número observado pelo Inpe desde 2017.
Veja mais números abaixo
Comparativo no nº de focos de queimadas entre 2019 e 2020